Estrabismo – causas e tratamento





Estrabismo é um problema que muitas pessoas sofrem, mas que tem tratamento. Neste post você conhecerá o que caracteriza o estrabismo, como tratá-lo e, certamente, ficará mais tranquilo ao ver que não é um problema tão grave se tratado.

Você sabe o que é estrabismo?

Você sabe o que é estrabismo?

O estrabismo é a anomalia que sofrem as pessoas que normalmente chamamos de vesgas?

Sim. É um desvio evidente do paralelismo de ambos os olhos: enquanto um olho se dirige ao objeto que se olha, o outro (olho estrábico) se desvia de sua linha de fixação.

O olho estrábico é sempre o mesmo em um paciente?

0 estrabismo pode ser unilateral, se o olho estrábico for sempre o mesmo; periódico se aparece e desaparece, e alternante se se manifesta indistintamente.

A que se deve o estrabismo?

Se aparece durante os primeiros anos de vida, costuma ser devido a anomalias dos músculos oculares, embora também possa ser consequência de complicações durante o parto ou de pequenas hemorragias cerebrais. Se aparecer mais tarde, pode obedecer a um defeito da musculatura ocular ou a uma anomalia no sistema ótico da refração, como a miopia, a hipermetropia e o astigmatismo. Quando existe um defeito na musculatura ocular, é frequente que esteja associado a uma incapacidade cerebral para visão binocular normal; ou seja, que há também uma dificuldade para ordenar corretamente as imagens captadas com ambos os olhos.

Nem todas as pessoas estrábicas dirigem seu olho enfermo para a mesma direção.

Sim, segundo a direção que adote o olho enfermo, o estrabismo pode ser convergente, divergente ou vertical.

Que é estrabismo convergente?

É o desvio de um olho para dentro. Recebe o nome também de esoforia.

Em que idade se apresenta com maior frequência?

Entre o primeiro e o quarto ano de vida. O estrabismo raras vezes é congénito, mas pode ser hereditário.

Como é sua evolução?

Desenvolve-se de modo progressivo. A princípio é quase não notado; logo se vai tornando mais ostensivo.

Está relacionado com alguma outra anomalia da visão?

Em princípio se associa com a hipermetropia, uma de suas causas mais frequentes.

Pode ser curado sem tratamento?

Em certas ocasiões desaparece quando a criança chega à puberdade, sem se conhecer a razão desta cura espontânea.

Como se trata o estrabismo convergente?

Se existir hipermetropia, deve ser corrigida o quanto antes; em muitos casos trata-se indireta-mente o estrabismo.
Se a visão do olho estrábico é muito deficiente, deve-se estimular sua função tapando por completo o olho são, para obrigar o olho estrábico a trabalhar. Uma vez que esteja em condições, estimula-se a visão com os dois olhos de uma vez (visão binocular), mediante diversos exercícios dos músculos oculares que mantêm retos os olhos.

Que exercícios podem ser feitos para estimular o olho estrábico?

Vários; desde o recorte de contornos de figuras em ilustrações de livros para colorir. Com estes simples exercícios a criança faz seu olho estrábico trabalhar sem dar-se conta.

É possível a intervenção cirúrgica?

Quando o tratamento antes descrito for realizado durante um ano sem que tenha tido bons resultados, como a diminuição do desvio, deve haver uma intervenção cirúrgica.

Qual a idade mais apropriada para a operação?

Por regra geral não importa a idade. Em cada caso o médico indicará o momento mais oportuno.

O que é estrabismo divergente?

É o desvio de um olho para fora.  Denomina-se também exotropia.

Em que idade se apresenta com maior frequência?

Aparece por volta dos 10 anos ou na idade adulta.

Costuma associar-se com alguma outra anomalia?

Sim, com a miopia.

Como se desenvolve?

Geralmente afeta os míopes pela deficiência da função de convergência dos olhos: como tem facilidade para a visão para perto sem necessidade de convergir os olhos, sofrem estrabismo na função contrária, ou seja, divergente. Nos míopes, se produz primeiro uma divergência para a visão para longe e depois para a visão para perto.

Como se trata o estrabismo divergente?

Se houver miopia, primeiro deve-se corrigir este defeito. Muitas vezes se soluciona ao mesmo tempo o estrabismo. Nos demais casos é necessário o tratamento cirúrgico.

Que estrabismo é mais fácil curar, o convergente ou o divergente?

Sem dúvida o convergente, porque com lentes corretas frequentemente se pode eliminá-lo.

O que é estrabismo vertical?

É o desvio de um olho para cima ou para baixo.

Quais são os principais sintomas do estrabismo?

O sintoma mais característico é uma desfiguração das imagens, acompanhada de uma diminuição da visão do olho desviado.

O enfermo vê duas imagens?

Somente há visão dupla dos objetos (diplopia) no princípio da enfermidade; depois se elimina de maneira automática e inconsciente a imagem do olho desviado, com o que desaparece a dupla visão.

Que forma de estrabismo produz o astigmatismo?

Esta anomalia na refração ocular pode ocasionar estrabismo convergente ou divergente.

Se você quiser, pode ainda consultar um blog sobre o assunto. Clique no link e vá ao site http://oestrabismo.com .

Sem comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>